Com direito a Hail Mary, América Locomotiva vence Botafogo Reptiles

Foto: Cintia Freitas

Os confrontos entre América Locomotiva e Botafogo Resptiles sempre foram marcados pela emoção e o jogo de ontem não quebrou a tradição.

A defesa do Locomotiva começou forçando um three-and-out e obrigou o ataque liderado pelo quarterback Mamão a devolver a bola. No ataque, o América conseguiu avançar com passes e corridas curtas, mas não passou do meio do campo. Após o punt do quarterback Gute, o retornador do Botafogo sofreu um fumble e deu novo fôlego ao ataque adversário.

Na red zone, Gute fez um passe para o wide receiver Talon Roggasch, que avançou até a linha de 6 jardas. Na terceira descida, Gute foi pressionado pela linha ofensiva adversária, mas conseguiu um passe lateral para o running back Markin, que entrou livre na end zone, 6 a 0.

No segundo quarto, as defesas passaram a dominar as ações e as faltas prejudicaram os avanços conquistados por ambos os ataques. O Locomotiva fez uma boa campanha no início do quarto e conseguiu anotar um field goal de 32 jardas com o kicker Ítalo, 9 a 0.

O Reptiles reagiu no primeiro drive do terceiro quarto e marcou um touchdown com o wide receiver Patrick Dutton, 9 a 6. Os times continuaram com os erros e o Botafogo aproveitou uma de suas raras oportunidades para marcar mais um touchdown com o wide receiver Loan Felisardo, 13 a 9.

Faltando menos de 1 minuto para o término da partida, o Locomotiva partiu para cima e Gute fez um belo passe para Pokémon, que deixou o time na linha de 40 jardas do ataque. Na última jogada, Gute é substituído pelo americano Talon Roggasch, que estava estreando na partida e jogou como wide receiver.

Faltavam segundos para o término da partida, não dava tempo para mais duas ou três jogadas, era tudo ou nada. Talon recebeu o snap, não viu recebedores e tentou resolver com as pernas, avançou em direção a sideline, mas foi impedido pelo ofensive linemen Ribas e foi forçado a retroceder. Foi nesse momento que olhou para a end zone e encontrou Pokémon.

Em um momento de Aaron Rodgers, Talon soltou o braço e Pokémon fez a recepção da virada, 15 a 13. Vejam o lance:

“Foi uma virada fantástica, não consigo nem explicar o que aconteceu. Começamos na frente e fomos pressionados, tentamos gastar o relógio. Eles viraram no fim e, faltando 50 segundos, fizemos uma hail mary. Foi inacreditável”, comenta Pokémon.

O Coordenador Ofensivo do Locomotiva, Jonas Faccion, destacou a dedicação da equipe para buscar a vitória nos minutos finais e vencer, pela primeira vez na história, um adversário do Rio de Janeiro.

“Estávamos perdendo e coloquei o Taylor para dar um passe que salvou nossa vida dentro do jogo. Estou feliz, porque começamos a temporada fazendo 1-0. Fizemos história ao bater pela primeira um time do Rio de Janeiro”, afirma.

O próximo compromisso do América Locomotiva será dia 11 de agosto, diante do Flamengo Imperadores, novamente em Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fechar Menu
×
×

Carrinho